BLOG SINAIS E LETRAS

TUDO SOBRE GRAVAÇÃO EM METAL

Blog

Impressora para Matriz Térmica (MTP-01)

 

Muitas vezes os nossos clientes têm dúvidas na hora de comprar uma impressora térmica para a impressão de suas matrizes descartáveis. As mais comuns são: resolução de impressão e modos de impressão.

Existem dois modos de impressão utilizados nas impressoras térmicas: o método de impressão Térmico Direto e o método de impressão por Transferência Térmica.

 

Térmico Direto

O modo correto é Térmico Direto, como o próprio nome diz, é o método no qual a impressora não utiliza o ribbon, ou seja, a cabeça de impressão aquece diretamente no nosso papel térmico MTP-01.

Quanto a resolução, a maioria dos modelos de entrada de impressoras térmicas possuem resolução de 203dpi (ou seja, 203 pontos por polegada). Embora essa resolução não seja muito alta ela é suficiente para quase todas as aplicações. Atualmente, a melhor opção com 203dpi é a Epson TM-T20X.

É preciso levar em consideração que os modelos de 300 ou 600dpi são bastante caros, e geralmente só estão disponíveis para impressoras de porte industrial. Apenas para efeito de comparação, a matriz  “verde” (stencil) tem 1200dpi.

 

Quando usar impressora de alta resolução?

Em geral, uma impressora de alta resolução só é necessária quando:

  • O design é prioridade para sua empresa, não pode haver serrilhado na marca ou texto.
  • Sua gravação utiliza textos muito pequenos.

 

Cuidados com a impressão de 203dpi

Alguns cuidados para melhorar a qualidade na impressão de 203dpi

  • Evite usar símbolos e logotipos com muitas curvas, e em tamanhos pequenos, que eles podem se tornar ilegíveis.
  • Evite utilizar fontes muito curvas no seu layout. Recomendamos usar as fontes nativas da impressora, que geralmente são mais quadradas e permitem uma legibilidade maior.
  • Evite usar texto em tamanho pequeno na impressão.

 

Nossas matrizes são produzidas com um filme especial. Ele é composto pela região ISOLANTE (verde) e a ABERTA (cinza). A parte CINZA é onde passa o líquido gravador ocasionando a gravação. Ela tem altíssima definição 1200 dpi e alta durabilidade, desde que o clientes tenha certos cuidados com a trama do tecido.

Vários fatores influenciam na durabilidade da matriz. Tipo de aço, líquido, máquina gravadora, tipo da gravação (escura / baixo relevo) e tempo de gravação. Testes em laboratório, mostraram um rendimento médio de 3500 gravações ESCURA e 1000 gravações CLARA (baixo relevo).

A gravação CLARA (baixo relevo) é mais demorada que a ESCURA. Com isso, a trama do tecido esquenta muito mais, resultando uma durabilidade menor. Nossa matriz suporta temperaturas de gravação de até 180Cº. A partir disso, a trama do tecido pode rasgar.

 

VEJA O VÍDEO

 

Os cuidados com a matriz são:

1- Antes de iniciar as gravações molhe um pouco de liquido gravador no tecido da matriz.

2- O tempo de gravação, em média, é de 6 segundos. Tempos maiores podem comprometer a vida útil da matriz, pois acontece uma elevação muito alta da temperatura. Isso prejudica a trama do tecido.

3- Quanto maior a voltagem e o tempo de gravação, as matrizes tendem a durar menos.

4- Sempre depois de finalizadas as gravações diárias, lavar a matriz em água corrente com uma escova de dente macia. Guardá-la sem vincar e deixá-la secando a sombra.

5- Use sempre o líquido próprio para gravação. Soluções caseiras (ex: água + sal) funcionam com nossas matrizes, porém este produto ataca muito o tecido da matriz comprometendo sua durabilidade.

6- Tenha sempre muito cuidado com a gravação CLARA (baixo relevo). Como dissemos, a trama do tecido suporta até 180Cº. A gravação baixo relevo, se for muito demorada, fará a temperatura ultrapassar em muito este limite. Faça a gravação aos poucos. Não deixe a matriz esquentar muito. Grave um pouco, aguarde esfriar e grave novamente até obter a profundidade desejada.

 

 

O Sistema de gravação eletroquímico é muito rápido e barato quanto temos a repetibilidade da gravação. Mas, em muitos casos, o cliente necessita produzir matrizes descartáveis para situações de poucas gravações. Geralmente personalização ou códigos de produção. Por exemplo, o nome JOÃO PEDRO em uma faca. Casos assim, fica quase que inviável comprar uma matriz de alta duração. Uma solução rápida é usar o ploter de recorte para produzir a sua matriz. Este equipamento recorta o adesivo com uma lâmina. São fornecidos por diferentes fabricantes e tamanhos. Existem opções na faixa de R$ 1.000,00. A limitação do ploter está no tamanho da letra ou detalhes finos. A lâmina não consegue cortar, por exemplo, letras com 2mm de altura, QR-Code, logotipos com detalhes finos.

 

O processo é bem simples, faça um adesivo vazado no ploter. A parte descoberta é a que será gravada. Aplique o adesivo no metal e faça a gravação com uma das gravadoras eletroquímicas da Sinais e Letras.

 

Para finalizar, basta remover o adesivo e limpar o seu metal com o NEUTRALIZADOR.

 

A gravação eletroquímica é basicamente uma oxidação “forçada”.
Dependendo da corrente elétrica usada, a gravação obtém resultados diferentes e afetam a superfície do metal de maneira contrária. Está é a principal diferença.

GRAVAÇÃO ESCURA
Normalmente, o resultado é uma marca escura oxidada na superfície da maioria dos metais.
Na maioria dos casos, o processo afeta apenas a cor da camada superior da superfície, onde a matriz foi posicionada e a pressão foi aplicada com a ajuda da cabeça de marcação.
Se executada corretamente, a marcação deixa a estrutura do aço sem danos. A marca resultante é nítida, de alta definição e permanente – só pode ser removida mecanicamente por meio da retificação.

GRAVAÇÃO CLARA
Ao contrário da gravação escura, a gravação CLARA remove uma parte da camada superior de metal e resulta em uma marca branca/baixo relevo na superfície do metal. A profundidade da gravação é influenciada pela duração do processo de gravação e pela potência da máquina.

TOP
×